Sábado
19 de Setembro de 2020 - 

Controle de Processos

STF STJ TJSP TST

Previsão do tempo

Hoje - São Paulo, SP

Máx
32ºC
Min
20ºC
Pancadas de Chuva a

Domingo - São Paulo, SP

Máx
23ºC
Min
15ºC
Pancadas de Chuva

Segunda-feira - São Pau...

Máx
19ºC
Min
16ºC
Nublado

Três desembargadores se despedem da Magistratura

Magistrados participaram de suas últimas sessões.           Os desembargadores Carlos Alberto Mousinho dos Santos Monteiro Violante, José Roberto Furquim Cabella e Márcio Martins Bonilha Filho participaram nesta semana de suas últimas sessões de julgamento antes da aposentadoria.           José Roberto Furquim Cabella - Integrantes do 3º Grupo de Câmaras de Direito Privado, formado pela 5ª e 6ª Câmaras, homenagearam o desembargador José Roberto Furquim Cabella (presidente do Grupo) em sua despedida da magistratura. O desembargador Paulo Alcides Amaral Salles, em seu discurso, lembrou as persas vezes em que trabalharam juntos ao longo da carreira, exaltando o caráter apaziguador do colega de Câmara. “Soube ser prudente, conselheiro, apagar faíscas e contemporizar temperamentos. Ao mesmo tempo jovem como uma criança e maduro pela experiência, soube dizer a muitos que os ânimos exaltados não seriam o melhor remédio”.         Cabella, o homenageado, recapitulou sua carreira na magistratura paulista e expressou o que pensa ser a missão de um magistrado. “Ser juiz, para mim, é poder servir a sociedade; é, de certa forma, assumir uma função pina, no afã de fazer justiça, dando a cada um o que é seu”, disse. “Saindo agora, assim o faço com a sensação do dever cumprido e com a certeza de ter combatido o bom combate, de ter me esforçado, me dedicado e correspondido à confiança em mim depositada por ocasião da minha aprovação no concurso de ingresso na carreira”, concluiu.         Participaram também da homenagem os desembargadores Vito José Guglielmi (presidente da 6ª Câmara de Direito Privado), James Alberto Siano (presidente da 5ª Câmara de Direito Privado), Antônio Carlos Mathias Coltro, José Percival Albano Nogueira Júnior, Erickson Gavazza Marques, José Luiz Mônaco da Silva, João Francisco Moreira Viegas, José Carlos Costa Netto e os juízes substitutos em 2º grau Fernanda Gomes Camacho, Marcus Vinicius Rios Gonçalves, Ana Maria Alonso Baldy e Rodolfo Pellizari; e a esposa do desembargador José Roberto Furquim Cabella, Rita Helena Silva Troca Cabella.         Trajetória - José Roberto Furquim Cabella nasceu em Ribeirão Preto (SP), em 1953. Graduado pela Faculdade de Direito “Laudo Camargo”, turma de 1983, ingressou na magistratura em 1987 como juiz substituto, sendo nomeado para a 15ª Circunscrição Judiciária, com sede em Catanduva. Também judiciou em Valparaíso, Espírito Santo do Pinhal e Capital. Em 2011, foi removido ao cargo de juiz substituto em 2º Grau. Em 2015, foi promovido a desembargador.           Márcio Martins Bonilha Filho - Em sua última sessão de julgamento antes da aposentadoria, o desembargador recebeu homenagens dos integrantes da 26ª Câmara de Direito Privado. Presente ao ato solene, representando o Conselho Superior da Magistratura, esteve o vice-presidente do TJSP, desembargador Artur Marques da Silva Filho. “É um juiz inteligente, rápido, probo, envergou a toga com distinção e sai cedo para recomeçar uma nova vida, em que será muito feliz, tenho certeza”, afirmou. “O tribunal perde um juiz brilhante, que dignificou não só a Magistratura, mas também todos os demais órgãos administrativos por onde passou, sobretudo na vara de Registros Públicos, onde até hoje algumas de suas sentenças são pioneiras”, concluiu o vice-presidente.         O presidente da 26ª Câmara de Direito Privado, desembargador Reinaldo Felipe Ferreira, falou das semelhanças entre o homenageado e seu pai, desembargador Márcio Martins Bonilha, ex-presidente da Corte paulista. “Márcio tem a mesma beleza espiritual do pai, cativante, e foi uma grata surpresa recebê-lo nesta Câmara”, disse. “Saiba do amor fraternal que levará de cada integrante aqui presente. A saudade ficará e esta Câmara perderá um pouco do brilho com a ausência de Vossa Excelência.”         Agradecendo a todos pela homenagem, Márcio Bonilha expressou seu sentimento de realização e de dever cumprido. “Ao me despedir da magistratura, brota a sensação de que honrei e fiz cumprir meu juramento inicial assumido por ocasião da posse há quase 32 anos”, disse. “Saio realizado e conservo um ideal de justiça que sempre me moverá.”         Também fizeram uso da palavra os desembargadores Renato Sandreschi Sartorelli, Tarcísio Ferreira Vianna Cotrim e Antônio Benedito do Nascimento; o juiz substituto em 2º grau Alfredo Attié Júnior e a procuradora de Justiça Andreia Chiaratti do Nascimento Rodrigues Pinto.         Trajetória – Márcio Martins Bonilha Filho é natural de São Paulo, onde nasceu em 1961. Graduado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, turma de 1985. Em 1988, ingressou na Magistratura como juiz substituto da 44ª Circunscrição Judiciária, com sede em Guarulhos. Judicou em Apiaí, Caçapava e Capital. Em 2013, foi promovido a desembargador.           Carlos Alberto Mousinho dos Santos Monteiro Violante - Quem também se aposentou foi o desembargador Carlos Alberto Mousinho dos Santos Monteiro Violante. O TJSP presta homenagem ao ex-integrante da 18ª Câmara de Direito Público e expressa gratidão por seu empenho no exercício da magistratura.         Trajetória – Carlos Alberto Mousinho dos Santos Monteiro Violante é natural de Getulina (SP) e formou-se bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas, turma de 1985. Ingressou na Magistratura em 1988, nomeado para a 5ª Circunscrição Judiciária, com sede em Jundiaí e Itatiba. Atuou em Guararapes, Fernandópolis, Itapetininga, Campinas, Valinhos, Capital e Araraquara até ser promovido pelo critério de antiguidade ao cargo de desembargador.                    imprensatj@tjsp.jus.br
13/12/2019 (00:00)
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  1296289